Pontes para a oxigenação

Luiz Edmundo Quintanilha de Barros
Presidente do SINPROVERJ

A diretoria do SINPROVERJ acaba de ser reeleita para mais uma gestão. Foi um voto de confiança da categoria, traduzido pelas urnas que circularam no Rio e Grande Rio. O resultado da eleição redobra a responsabilidade dos integrantes da chapa.

Uma certeza do movimento dos propagandistas que assumiram o SINPROVERJ em 2013 é de que o sindicalismo precisava de oxigenação. Os propagandistas seguiram esta linha. A renovação apresentou resultados concretos, com novas atitudes ao longo dos últimos quatro anos.

Iniciativas na busca de ampliar a ligação entre ativistas e categoria são uma das marcas desta gestão. Sem radicalismos, o SINPROVERJ estabeleceu pontes de acesso, conectando-se com as bases, com as entidades sindicais fluminenses coirmãs e com a representação patronal.

O sindicato não é um privilégio da classe trabalhadora. O empresário industrial ou o comerciante também desfruta do instituto sindical, lutando cada um por seus interesses. O importante é que os resultados sejam justos.

Os diretores, especialmente os jovens, estão cientes de que sindicato é uma agremiação fundada para defesa comum dos interesses de seus aderentes. Sabem, portanto, que esta importância institucional é muito grande e que sua significância maior é com o equilíbrio em três terrenos: social, econômico e político, de uma sociedade de empregados e empregadores.